Medicina Veterinária

Sobre o curso

O curso de Medicina Veterinária da UniEVANGÉLICA tem por objetivo formar um profissional habilitado a desenvolver ações voltadas à área de Ciências Agrárias no que se refere à Produção Animal, Produção de Alimentos, Saúde Animal e Proteção Ambiental.

A formação do egresso é generalista, humanista, crítica e reflexiva. O graduado será apto a compreender e traduzir as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidades, com relação às atividades inerentes ao exercício profissional, no âmbito de seus campos específicos de atuação em saúde animal e clínica veterinária; saneamento ambiental e medicina veterinária preventiva, saúde pública e inspeção e tecnologia de produtos de origem animal; zootecnia, produção e reprodução animal e ecologia e proteção ao meio ambiente.

O médico veterinário é o profissional responsável por manter a saúde dos animais e o bem-estar animal. Além disso, além de preservar a saúde dos animais, o veterinário também atua na preservação da saúde pública, por meio do controle de zoonozes, que são doenças transmitidas dos animais para o homem, e do controle de produtos de origem animal consumidos pela população.

Além de atuar em clínicas de pequenos e grandes animais, os veterinários também podem atuar na tecnologia e inspeção de produtos de origem animal, na Vigilância Sanitária, na Defesa Sanitária, em zoológicos, em laboratórios de controle microbiológico e físico-químico de alimentos, em biotérios, em centros de pesquisa da saúde, consultores, peritos criminais, responsáveis técnicos de indústrias, laboratórios de análise de solo e água, produção de vacinas e medicamentos na área de saúde animal, marketing de produtos pet, produção animal, melhoramento genético entre outros.

Dados do Curso

Grau: Bacharelado

Modalidade: Presencial

Regime de matrícula: Semestral

Duração: 5 anos

Turno: Noturno

Vagas: 60

Campus: Anápolis

“A compaixão para com os animais é das mais nobres virtudes da natureza humana.”

 

Charles Darwin

Mercado de trabalho

Muito além de “médicos de animais”, hoje, a atuação dos Médicos Veterinários abrange mais de 80 áreas.

Do controle da saúde dos animais, seguido da obtenção, preparo, distribuição e venda de produtos de origem animal, o médico-veterinário está presente ao longo de toda a cadeia de produção de alimentos de origem animal. Trata-se de um profissional com competência para atuar em áreas como: clínica; direção de hospitais para animais; assistência técnica e sanitária aos animais; inspeção ou assistência técnica higiênico-sanitária em indústrias e agroindústrias; peritos criminais, judiciais e administrativos; ensino, direção, controle e a orientação do ensino técnico e superior; pesquisas; responsáveis técnicos, consultores; entre outras. A Medicina Veterinária de animais selvagens também vem se tornando cada vez mais importante, com atuações em clínicas médica e cirúrgica, resgate de fauna, nutrição, reprodução, conservação, bem-estar, zoonoses, biossegurança e vigilância ambiental, comércio, criadouros, abatedouros e frigoríficos, zoológicos, aquários, mantenedores de fauna (santuários), entre outros. Além disso, os Médicos Veterinários são imprescindíveis como profissionais de saúde pública, pois são responsáveis por integrar saúde animal, meio ambiente e educação, trabalhando na prevenção, controle e diagnóstico situacional de doenças transmissíveis ao homem pelos animais.

Sob essa perspectiva, o curso de Medicina Veterinária do Centro Universitário UniEVANGÉLICA apresenta uma proposta curricular direcionada a promover uma sólida e ética formação em Medicina Veterinária, por meio da capacitação de profissionais para as diversas áreas de abrangência da profissão, somado a isso, uma formação globalizada e crítica para os envolvidos no processo, de forma que seja permitido o exercício da cidadania como sujeitos de transformação da realidade, com respostas para os grandes problemas atuais, contribuindo para o desenvolvimento sustentável de nossa região.

Diferenciais

O curso de Medicina da UniEVANGÉLICA tem como grande diferencial a “educação orientada para a comunidade” e a “aprendizagem baseada em problemas”. A primeira é característica das instituições cujos objetivos e princípios básicos são determinados pelas necessidades da comunidade, cujos currículos adotam um enfoque integral da saúde e desenvolvem atividades comprometidas com a meta de saúde para todos. Já a segunda é um método pelo qual o estudante ou o trabalhador de saúde utiliza a situação de um paciente, uma questão da assistência à saúde ou um tópico de pesquisa, como estímulos para aprender. Após análise inicial do problema, os estudantes definem seus objetivos de aprendizagem e buscam as informações necessárias para abordá-lo. Após, relatam o que encontraram e o que aprenderam.

Matriz Curricular

A organização curricular do curso da UniEVANGÉLICA se desenvolve por meio de módulos temáticos que deverão orientar-se em sua construção por sistemas orgânicos, ciclos de vida e apresentações clínicas, integrando um conjunto nuclear de conhecimentos, habilidades e atitudes que são desenvolvidos como objetivos educacionais. Prevê a utilização de Metodologias Ativas como a Aprendizagem Baseada em Problemas e a Problematizarão como ferramentas pedagógicas de ensino, desenvolvendo uma base integrada de conhecimentos, práticas e atitudes no profissional em formação, que se manifesta estruturalmente nos eixos humanístico-profissional, técnico-científico e comunitário assistencial.

O curso desenvolve-se em 12 semestres. Até o 8° período ou semestre, são ministrados cinco módulos temáticos por semestre, divididos em atividades teóricas, atividades práticas e atividades de saúde coletiva. As atividades teóricas desenvolvem-se, sob a forma de grupos tutoriais e atividades em laboratórios, por meio dos problemas que integram as disciplinas básicas (Anatomia, Histologia, Embriologia, Bioquímica, Fisiologia, Farmacologia, Genética, Biologia Molecular, Microbiologia, Imunologia, Parasitologia, Epidemiologia). As atividades práticas, desenvolvem-se por meio de atividades relacionadas à semiologia, conteúdos de clínicas médica e cirúrgica, além dos conhecimentos em ginecologia-obstetrícia e em pediatria. Dentro das atividades de saúde coletiva, sob a forma de interação com a comunidade, desenvolvem-se a iniciação científica e os conhecimentos sobre ensino e pesquisa. O internato médico (9º ao 12º períodos) não se estrutura por módulos, por ser estágio em serviço, mas contempla as cinco áreas essenciais para a formação generalista.

O currículo é estruturado longitudinalmente, buscando o desenvolvimento das habilidades necessárias para o exercício adequado da Medicina. O programa compreende o desenvolvimento de habilidades clínicas, realização de exame físico, de procedimentos médicos, de exames laboratoriais, das técnicas de comunicação social, acesso aos meios contemporâneos de informação médica e capacitação para a leitura crítica. As atividades têm periodicidade semanal e seguem um calendário específico.

Os dois últimos anos, 5a e 6a séries, correspondem ao Estágio Curricular Obrigatório, em Regime de Internato, com treinamento intensivo e contínuo nas áreas básicas de Clínica Médica, Pediatria, Cirurgia Geral, Ginecologia-Obstetrícia e Saúde Coletiva, sob a supervisão dos docentes e de preceptores selecionados na própria unidade de saúde onde o estágio é realizado. Nessa fase, as habilidades clínicas são desenvolvidas com estágios rotativos nos Hospitais de Ensino e nos Ambulatórios da Rede de Saúde da cidade de Anápolis.

Há, também, apoio técnico científico desde o início do curso por professores de metodologia científica. Por meio dessa consultoria, os alunos aprendem a finalidade e a aplicação da metodologia científica no mundo acadêmico, compreendem a estruturação do trabalho acadêmico-científico, elaboram um resumo e uma resenha, conhecem as normas e padrões exigidos na elaboração dos trabalhos de conclusão de curso, As conferências acompanham o desenvolvimento dos módulos temáticos. São ministradas com até duas horas de duração e de três a quatro vezes por semana e proferidas por professores do curso ou convidados, sempre sobre temas que estiverem sendo abordados nos grupos tutoriais. Têm a finalidade de contribuir para a sistematização de conteúdos. As atividades de extensão no curso são desenvolvidas por docentes e acadêmicos, durante todos os períodos do curso e têm a finalidade de complementar as atividades curriculares.

20151
Periodo: 1
Disciplina CH
CONCEPÇÃO E FORMAÇÃO DO SER HUMANO 120
HABILIDADES MÉDICAS I 160
INTRODUÇÃO DO ESTUDO DA MEDICINA 120
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE I 80
METABOLISMO 120
Periodo: 2
Disciplina CH
AGENTES BIOLÓGICOS E MECANISMOS DE AGRESSÃO 120
FUNÇÕES BIOLÓGICAS 120
HABILIDADES MÉDICAS II 160
MECANISMOS DE AGRESSÃO E DEFESA 120
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE II 80
Periodo: 3
Disciplina CH
HABILIDADES MÉDICAS III 160
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE III 80
NASCIMENTO, CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO 120
PROCESSO DE ENVELHECIMENTO 120
SAÚDE DA MULHER, SEXUALIDADE HUMANA E PLANEJAMENTO FAMILIAR 120
Periodo: 4
Disciplina CH
FEBRE, INFLAMAÇÃO E INFECÇÃO 120
HABILIDADES MÉDICAS IV 160
INTERAÇÃO ORGANISMO HUMANO E DROGAS 120
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE IV 80
PROLIFERAÇÃO CELULAR 120
Periodo: 5
Disciplina CH
DOENÇAS CAUSADAS POR AGENTES MICROBIANOS 80
DOENÇAS CAUSADAS POR PARASITAS 80
DOENÇAS RESULTANTES DA AGRESSÃO AO MEIO AMBIENTE 80
HABILIDADES MÉDICAS V 320
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE V 80
Periodo: 6
Disciplina CH
DESORDENS NUTRICIONAIS E METABÓLICAS 80
HABILIDADES MÉDICAS VI 320
LOCOMOÇÃO E APREENSÃO 80
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE VI 80
PROBLEMAS MENTAIS E DE COMPORTAMENTO 80
Periodo: 7
Disciplina CH
DOR 80
DOR ABDOMINAL, DIARRÉIA, VÔMITO E ICTERÍCIA 80
HABILIDADES MÉDICAS VII 320
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE VII 80
PERDA DE SANGUE 80
Periodo: 8
Disciplina CH
DISPNÉIA, DOR TORÁCICA E EDEMAS 80
DISTÚRBIOS SENSORIAIS, MOTORES E DA CONSCIÊNCIA 80
EMERGÊNCIAS 80
HABILIDADES MÉDICAS VIII 320
MEDICINA DE FAMÍLIA E COMUNIDADE VIII 80
Periodo: 9
Disciplina CH
INTERNATO I 960
Periodo: 10
Disciplina CH
INTERNATO II 960
Periodo: 11
Disciplina CH
INTERNATO III 960
Periodo: 12
Disciplina CH
INTERNATO IV 320
OPTATIVA 320

Trabalho de Conclusão de Curso

O curso de Medicina da UniEVANGELICA, por entender que os acadêmicos durante o período de Internato está em atividade prática em período integral, optou por realizar um Trabalho de Curso ao invés do Trabalho de Conclusão de Curso, com finalização no 8º período do curso

O Trabalho de Curso (TC) traz como proposta a formação profissional pautada na interação da teoria com a prática, onde a capacidade de refletir é constantemente estimulada. O desenvolvimento do TC permite a formação de profissionais criativos, capacitados nas diferentes demandas que a prática profissional lhes impõe. O processo de elaboração de um TC traduz-se para o estudante como uma somatória de habilidades que se agrega ao seu repertório de saberes, proporcionando o aprofundamento do estudo sobre determinada temática, de forma organizada e metódica.

O TC suscita que o estudante empregue os saberes assimilados ao longo de seu curso e aponte uma contribuição efetiva no avanço científico e tecnológico É de extrema importância por representar um trabalho que explora um assunto único, procurando aprofundar-se no mesmo e definindo diretrizes e resoluções para a temática abordada, de forma a contribuir no crescimento e desenvolvimento da carreira.

Estágio Curricular

Programa Integrado de Saúde Coletiva – PISC

O PISCcoloca o aluno precocemente – a partir do primeiro semestre – em contato com atividades de atenção à saúde na comunidade; fazê-lo conhecer uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e equipes de saúde da família (ESF), observando como são atendidas as necessidades da sua área de abrangência; proporcionando aos docentes e discentes o trabalho em equipe multiprofissional e interdisciplinar; sendo desenvolvido durante todo o ano.

Hospitais Conveniados

O estudante do Curso de Medicina da UniEVANGÉLICA realiza estágios durante todo o curso em hospitais conveniados de Anápolis e região (Santa Casa de Anápolis, Hospital Evangélico Goiano. Hospital de Urgências de Anápolis, Unidades Básicas de Saúde). O estágio em hospitais públicos e privados da rede de Serviço de Saúde fornece aos estudantes a vivência da realidade da profissão e produz uma preparação diferenciada para enfrentar os desafios como futuro profissional médico.

Internato

O internato do Curso de Graduação em Medicina é uma fase obrigatória e o acadêmico recebe treinamento em serviço sob a supervisão de preceptores e docentes da rede (SUS). Tem a duração de dois anos e compreende cinco áreas: Medicina Interna, Gineco-Obstetrícia, Clínica Cirúrgica, Pediatria e Saúde Coletiva/Medicina da Família e Comunidade, abrangendo os três níveis de assistência à saúde (primário, secundário e terciário).

O internato baseia-se no desenvolvimento de habilidades e competências, desenvolvidas em etapas progressivas que compreendem do simples saber e do saber como para a etapa mais importante do processo ensino-aprendizagem que é o fazer.

Atividades de Extensão

A extensão, entendida como uma das funções básicas da universidade, caracteriza-se pela interação sistematizada desta com a comunidade, visando contribuir para o seu desenvolvimento e nela buscar conhecimentos e experiências para a avaliação e revitalização do ensino e da pesquisa.

São consideradas atividades de extensão quaisquer tipos de condutas que envolvam: programas, projetos, eventos, cursos, prestação de serviços, produção e publicações; relacionadas às áreas temáticas realizadas em nome do Centro Universitário de Anápolis, dentro ou fora da Instituição. Essas atividades podem estar ou não inseridas nos planos de ensino.

Uma das propostas do curso de medicina é aliar ensino, pesquisa e extensão. Isso é facilmente observado dentro da disciplina de PISC, que promove atividades extensionistas na comunidade e estimula o desenvolvimento de pesquisa dentro da comunidade, o que gera trabalhos científicos que são apresentados durante a mostra acadêmica anual e também em outros eventos científicos.

Além disso, são várias as atividades extensionistas que o curso de medicina participa, inclusive extra-muros. Podemos destacar: a ação global, projeto em parceria com a rede globo e que atende a comunidade Anapolina; projeto ciranda, em que há várias atividades de atendimento na área de saúde, jurídica e também oficinas de educação, e que atende em média 30 mil pessoas.

O curso de medicina também estabeleceu parcerias com a secretaria da saúde, onde foi desenvolvido um curso de capacitação dos profissionais da secretaria da saúde sobre aleitamento materno no ano de 2011, sendo que foram oferecidas várias oficinas e que vários alunos do curso de medicina tiveram oportunidade de participar como monitores e organizadores do evento.

As ações de extensão concebidas nesta perspectiva são executadas com qualidade técnica e científica, e atendem um contingente populacional local, regional e nacional significante.

No curso de medicina, ocupam uma posição de destaque, as Ligas Acadêmicas- formadas com o principal objetivo de incrementar positivamente a formação acadêmica dos alunos membros. São organizadas por acadêmicos e professores, caracterizadas como atividades extracurriculares e desenvolvem ações comunitárias, eventos científicos e atividades de pesquisa.

Pesquisa

A UniEVANGÉLICA considera a pesquisa como elemento catalisador do conhecimento científico, técnico, humanístico e ético, que, articulada ao ensino e extensão, exerce relevante papel na produção do conhecimento, propiciando o envolvimento teórico-empírico e a formação profissional pelo exercício da reflexão.

O estudante tem a possibilidade de realizar pesquisas, sobre orientação de um professor, dentro de um dos seguintes programas:

a) Programa de Bolsa Iniciação Científica – (PIBIC), é uma modalidade de ensino-aprendizagem que visa oportunizar a alunos de graduação desta IES a experiência de questionamento, sistematização e organização do saber, elevando-os da condição de receptores de informações para a de atores da produção de seu próprio conhecimento.

b) Programa de Iniciação Científica Voluntária – (Pro- InCiV), é um programa voltado para a iniciação voluntária à pesquisa de alunos de graduação do UniEVANGÉLICA, através do estímulo a pesquisadores produtivos no sentido de envolver estudantes de graduação nas atividades científica, tecnológica e artística-cultural.

Atividades Complementares

São atividades de caráter científico, cultural e acadêmico, previstas no currículo do curso e que objetivam o desenvolvimento de estudos do interesse dos acadêmicos e promovem a diversificação dos espaços educativos.

Essas atividades visam à integralização da matriz curricular, complementando o currículo dos cursos e enriquecendo-o com práticas independentes, com estudos que incluem uma imensa variedade de opções, como: monitorias, estágios, programas de iniciação científica, programas de extensão, projetos de pesquisa, participação em seminários, eventos artístico-culturais, congressos, simpósios, jornadas, etc.

Diretora do curso

Débora Pereira Garcia

Possui graduação em Medicina Veterinária (2001-UFG), mestrado em Ciência Animal , pela Universidade Federal de Goiás (2005-UFG) e doutorado em Ciência Animal, pela Universidade Federal de Goiás (2008-UFG). Realizou um período de doutorado sanduíche na Universidade Complutense de Madrid (julho 2005-julho 2006), como bolsista da Capes. Trabalhou no Laboratório de Protozoologia do Centro de Parasitologia Veterinária, na Escola de Veterinária da UFG, onde foi Bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado – PNPD (Capes) no período de 2008- 2013. Juntamente com o grupo de pesquisa de Parasitos de animais domésticos desenvolveu o projeto intitulado: Neosporose Bovina e Resistência a Carrapatos em Raças Crioulas. Tem experiência na área de Parasitologia, com ênfase em Protozoologia.

Currículo Lattes

Ainda tem Dúvidas? Contate-nos.

Telefone: (62) 3310-6684 / 0800 603 2023

Whatsapp: (62) 99804-1737

E-mail: relacionamento@unievangelica.edu.br

Fale com a diretora

E-mail: debora.melo@unievangelica.edu.br

Share
Loading...